Olualê Kossola

ebook As palavras o último homem negro escravizado

By Zora Neale Hurston

cover image of Olualê Kossola

Sign up to save your library

With an OverDrive account, you can save your favorite libraries for at-a-glance information about availability. Find out more about OverDrive accounts.

   Not today
Libby_app_icon.svg

Find this title in Libby, the library reading app by OverDrive.

app-store-button-en.svg play-store-badge-en.svg
LibbyApponDevice.png

Search for a digital library with this title

Title found at these libraries:

Loading...
Nesse trabalho fundamental da autora de Seus olhos viam Deus, Olualê Kossola: As palavras o último homem negro escravizado traz o poderoso relato de um dos últimos sobreviventes do tráfico atlântico levado para os Estados Unidos. Em 1927, Zora Neale Hurston vai até a comunidade de Plateau, no Alabama, perto da cidade de Mobile, para entrevistar Cudjo Lewis, que está com 86 anos. Um dos milhões de homens, mulheres e crianças escravizados na África e trazidos para os Estados Unidos, Cudjo era então a única pessoa viva para contar uma parte importante da história do país. Hurston estava lá para registrar em primeira mão o relato de Cudjo – ou Olualê Kossola, seu nome na África – sobre o ataque que o levou a ser capturado e escravizado 50 anos depois da proibição do tráfico de pessoas nos Estados Unidos. Em 1931, Hurston retorna a Plateau, a comunidade africana a quase 5 quilômetros de Mobile fundada por Cudjo e outros ex-escravizados de seu navio. Ao passar mais de três meses lá, ela pôde ter conversas profundas com Cudjo sobre os detalhes de sua vida. Durante essas semanas, a jovem escritora e o ex-escravizado já em idade avançada comeram pêssegos e melancias que cresciam no quintal dele e conversaram sobre o passado de Cudjo: as memórias de sua infância na África, os horrores de ser capturado e levado até um barracão para ser escolhido por senhores de pessoas escravizadas dos Estados Unidos, a experiência angustiante da travessia do Atlântico com mais de cem outras almas a bordo do Clotilda, os anos que passou escravizado, até o fim da Guerra Civil, e a vida depois de tudo isso. Baseado nessas entrevistas, com a linguagem única de Cudjo e escrito do ponto de vista de Hurston com a compaixão e o estilo singular que fizeram dela uma das mais proeminentes autoras dos Estados Unidos do século XX, Olualê Kossola: as palavras do último homem negro escravizado ilustra com maestria os horrores da escravização de pessoas negras. Oferecendo uma compreensão do legado pernicioso que ainda assombra a sociedade americana, esse trabalho comovente e poderoso é uma contribuição inestimável para nossa história e cultura. "Um impacto profundo no legado literário de Zora Neale Hurston." - The New York Times "Uma das maiores autoras de nosso tempo." - Toni Morrison
Olualê Kossola